Liderança e Autoconhecimento: Sete Lições para Liderar a Si Mesmo Antes de Liderar Alguém

Ter conhecimento a respeito do seu potencial, das suas capacidades, limitações e vários outros aspectos, é fundamental para que um líder consiga aperfeiçoar e estreitar as suas relações com pessoas e, consequentemente, obter melhores resultados. O autoconhecimento é o meio que permitirá ao líder ter uma maior percepção a respeito desses aspectos e de como eles podem impactar nas suas relações interpessoais, inclusive com a própria organização que lidera.   

Liderança exige autoconhecimento

O autoconhecimento é um exercício que demanda análise profunda, e muita reflexão, pois, parte de um exame aprofundado das nossas crenças, valores, convicções, atitudes, ações, limitações e potencialidades. Um exemplo de exercício básico de autoconhecimento, propõe que o líder identifique a percepção das pessoas sobre ele, buscando compreender a forma como é visto e compreendido, poe exemplo. Para depois, confrontar a sua autopercepção com a percepção dessas outras pessoas. Porém, este confronto do que pensamos de nós, frente a outras percepções a nosso respeito, não é uma tarefa simples, já que nem sempre é bom ouvir ou saber o que os outros falam e pensam sobre nós, sobretudo, quando as críticas a respeito dos nossos comportamentos são contraditórias com o que pensamos ou achamos de nós mesmos.

Portanto, o autoconhecimento exige além da humildade, virtudes como a capacidade de fazer autocrítica, de ter autocontrole e muita maturidade emocional, pois, se alguém de fato, tem uma percepção tão diferente do nosso propósito, este é um argumento valioso para revermos nosso posicionamento.

É necessário agir de forma positiva com o intuito de aprimorar as qualidades e superar os defeitos e limitações.

Para executarmos o nosso autoconhecimento, além do doloroso exemplo citado acima, são sugeridas algumas outras ações, que podem contribuir de forma significativa tanto nas relações profissionais, quanto na vida pessoal:

1.O Líder e o Exame Autocrítico

É aconselhável desenvolver a capacidade de fazer um profundo exercício de autoavaliação, fazendo perguntas para si mesmo como por exemplo: meus comportamentos estão adequados aos locais que frequento? Como as pessoas estão me percebendo? Será que sou uma pessoa positiva? Como eu agiria se o inverso ocorresse?

Reserve um momento específico para fazer um flashback do que fez durante o dia, tenha isso como um hábito diário. As atitudes que as pessoas têm no seu cotidiano afetam suas imagens, tanto de forma positiva como negativa.  Analise de forma sistemática se as atitudes e ações são adequadas aos contextos. Caso seja necessário, é preciso mudá-las. Aprenda a fazer do seu cotidiano, um laboratório de autoaprendizagem.

2. Liderança Exige Desenvolvimento de Autoestima

A autoestima ajuda a manter comportamentos e ações positivas. Ela contribui no processo de motivação, na saúde física e mental, algo imprescindível para se obter êxito na realização das tarefas e atividades.

3.O Líder Tem o Controle dos Sentimentos e Emoções

É preciso saber reagir de forma equilibrada em situações adversas ou inesperadas. Quando o indivíduo, a partir do exercício do autoconhecimento, consegue controlar suas emoções e seus sentimentos, ele adquire a capacidade de se auto gerenciar. Essa capacidade é condição sine qua non* para que um líder consiga estabelecer ótimos relacionamentos com as pessoas, principalmente os seus liderados.

4.Compreenda Como os Outros te Consideram

Geralmente os outros têm uma percepção diferente do que temos de nós mesmos.  Procurar conhecer essas percepções pode ser muito positivo para quem procura melhorar suas qualidades.  Assim, deve-se procurar fazer um alinhamento entre o que realmente somos e como os outros nos veem e como nos consideram. Esse exercício melhora nossa autoimagem e amplia o nível de confiança e relacionamento entre as pessoas e já foi citado na introdução deste texto.

 5.Reconheça Suas Falhas, Erros e Limitações

O erro é um importante instrumento para o acerto. Quando se erra tem-se a chance de aprender com ele. As falhas também são fontes de aprendizado. Nestas horas é possível fazer uma avaliação dos motivos das falhas e erros e como se pode fazer diferente para evitar que eles aconteçam. Conseguir identificar as limitações também é uma oportunidade de promover melhorias em si mesmo. Quem percebe as próprias limitações está preparado para promover mudanças.

6.Aprimore suas Qualidades

Saber quais são as próprias qualidades é tão importante quanto reconhecer seus defeitos. Perceber historicamente quais as qualidades estão sendo aprimoradas é fundamental para a autopercepção. Qualidades podem ser transformadas em habilidades e competências se direcionadas adequadamente nas atividades profissionais. É essencial transformar potencial em qualidade e esta, em habilidades e competências.

7.Seja Equilibrado

Busque o equilíbrio entre razão e emoção, entre a vida privada e profissional. Aceitar determinados desafios ou não aceitar, entre tantos outros aspectos, não é algo simples de decidir, e o processo não acontece de um dia para o outro. É preciso muita reflexão, muito conhecimento sobre si mesmo e muita disciplina. Mas, o equilíbrio é fundamental para que o indivíduo consiga maior realização e melhores resultados em tudo que faz, principalmente quando exercermos uma função de liderança.  O líder que não conseguir demonstrar esse equilíbrio para sua equipe terá dificuldades de obter dos seus liderados a admiração e de ser uma das referências no processo de autodesenvolvimento dos seus liderados.

Enfim, quando percebemos nossas limitações e nossas próprias qualidades profissionais e conseguimos nos gerenciar a ponto de que essas qualidades profissionais se evidenciem e essas limitações sejam controladas, torna-se mais fácil vislumbrar e compreender as limitações e qualidades dos outros, além de garantir melhor relacionamento com as pessoas em geral e, consequentemente, obter êxito nas suas atividades.

 

*sine qua non – Expressão do Latim, ação, componente ou ingrediente indispensável para a realização de alguma coisa. Emprega-se para caracterizar uma circunstância indispensável para a validade ou realização disto ou daquilo.