A confiança como elo entre um líder e seu liderado

Um líder, seja no campo educacional ou corporativo, no desempenho de seu papel, é um dos grandes responsáveis por propiciar condições para que sua equipe se comprometa com os resultados e com o trabalho da instituição a que pertence.

Sua presença e o exercício da plenitude no seu papel cria uma atmosfera de comprometimento entre os indivíduos, pois o líder, entre outras atribuições, permite que as relações sociais sejam intensificadas e orientadas para a concretização dos objetivos individuais e coletivos, sejam eles profissionais ou sociais.

Não há dúvidas que uma das ferramentas mais importantes para qualquer tipo de relacionamento é a confiança. Pesquisadores, de um modo geral, afirmam que em um ambiente em que há́ confiança entre um liderado e seu líder, os medos e os temores em realizar atividades, em função da incerteza das consequências futuras, diminuem.

Assim, a confiança assume um papel de extrema relevância nas relações interpessoais, o qual facilita as relações de trabalho e permite que os objetivos sejam mais facilmente atingidos, com menor esforço e maior fluidez na execução das atividades, já que o envolvimento e a motivação no ambiente de trabalho é um fator preponderante.

A confiança nas relações entre o líder e sua equipe é mais facilmente estabelecida quando há admiração, principalmente da equipe para seu líder. Por este motivo, uma das questões que são discutidas e analisadas no desempenho de papel de qualquer gestor, no exercício da liderança, além das competências estratégicas e técnicas, são suas qualidades pessoais, como já abordamos nos textos anteriores.

As qualidades pessoais de um gestor são muito observadas no ambiente educacional, como por exemplo, a ética, o senso de justiça, proatividade, nível de atenção, sensibilidade e envolvimento colaborativo. Para que o gestor seja visto como um líder merecedor de credibilidade, suas qualidades pessoais deverão transbordar os limites da sua função. Para tanto, é necessário um comprometimento especial, sobretudo, porque seu papel é contagiar os outros com suas características pessoais positivas.

Portanto, a dica de hoje é bastante simples: coloque-se no lugar dos integrantes da sua equipe e tente compreender quais as características e ações eles esperam de você. Um exercício que auxilia muito essa compreensão é refletir o que você esperaria do seu líder se ocupasse um determinado cargo.

Mesmo diante das inúmeras atividades e compromissos do seu cotidiano, investir poucos minutos neste exercício, pode te gerar resultados extraordinários na esfera relacional, aumentando a proximidade e a confiança das relações e, consecutivamente, potencializando seus resultados, já que uma equipe fortalecida produz mais com menos esforços.